A América do Sul de um jeito que você nunca viu

Já falei outras vezes sobre minha paixão por viajar. E volta e meia me pego pensando em outros lugares, curtindo coisas que nunca vivi.

Hoje foi um dia desses, ao me deparar com um vídeo feito na América do Sul, lembrei de alguns lugares que passei e desejei estar em outros que nunca estive.

South America by drone por Adam Humphrey

As imagens foram captadas por Tom Montefiore e Adam Humphrey, eles viajaram por 5 semanas entre Chile, Bolivia, Equador, Brasil, Argentina e Peru e coletaram essas imagens com os seguintes equipamentos: Nikon D60 | 50mm f1.4 , 16-35mm f/4 VR, DJI Phantom 2 e Gopro Hero 3+ Black.

Uma viagem incrível que tenho certeza que muita gente gostaria de fazer.

Anúncios

Todas as cartas de amor são ridículas (ou não)

Um dos meus livros favoritos é “O amor nos tempos do cólera”, do escritor colombiano Gabriel García Márquez. É indiscutível que Gabo é genial, mas tem um elemento que faz com que este seja um dos meus livros preferidos: as cartas de amor.

O romance de Florentino Ariza e Fermina Daza existe apenas por meio de cartas. As dele, de amor e as dela, nem tanto. Já com o namoro desfeito, Florentino Ariza utiliza o talento que tem para demonstrar sentimentos (um tanto quanto exagerados) e passa a escrever cartas de amor para outras pessoas. “(…) sobrava-lhe tanto amor por dentro que não sabia o que fazer com ele, e dava-o de presente aos enamorados implumes escrevendo para eles cartas de amor gratuitas no Portal dos Escrivães” (p. 214).

Quando eu era criança, fazia algo parecido. Com menos talento para a escrita, mas com talento para o comércio, passei a vender papel de carta no colégio (quem nasceu nos anos 2000 nem deve ter ideia do que é isso). Além das cartas, eu vendia o serviço de escrever cartas de amor. O conteúdo geralmente era o trecho de alguma música sertaneja que eu retirava de um encarte de CD do Leandro & Leonardo. Eu até borrifava (provavelmente de maneira exagerada) um perfume nas cartas (e borrava toda a escrita).

Muito tempo passou e ainda me comovo facilmente quando o assunto é carta de amor. Concordo com Fernando Pessoa, “afinal, só criaturas que nunca escreveram uma carta de amor é que são ridículas”.

Hoje, por coincidência/ destino/ sintonia/ acaso, encontrei a notícia de uma carta de amor escrita por um veterano da II Guerra e que foi encontrada após 70 anos. A história é assim: Bill Moore de Aurora, então com 20 anos, era soldado, lutava na II Guerra e era apaixonado por Bernadean. Longe dela, a única maneira de continuarem o namoro era através de cartas. Com o fim da guerra, eles casaram, mas as cartas se perderam.

Porém, uma moradora do Colorado encontrou a carta ao buscar por discos de vinis em um brechó. Ela conseguiu encontrar Bill e entregou o texto. Mais bonita do que a história, é Bill relendo a carta e se emocionando. A mulher dele, Bernadean, faleceu em 2010.

Você é tão adorável, querida, que eu muitas vezes me pergunto como é possível que você seja minha. Sou realmente o cara mais sortudo do mundo, você sabe. E você é a razão. Até o seu nome soa adorável para mim”

Outra carta que fez sucesso este ano é a de Johnny Cash para June Carter. Ela foi eleita a mais bela carta de amor por uma pesquisa realizada por uma empresa de seguros britânicos. O texto foi escrito no dia do aniversário de 65 anos de June.

“Ficamos velhos e nos acostumamos um com o outro. Pensamos coisas parecidas. Lemos a mente um do outro. Sabemos o que o outro quer sem perguntar. Às vezes, nos irritamos um pouco. Às vezes, não nos damos importância. Mas, de vez em quando, como hoje, eu medito e percebo o quão sortudo sou por compartilhar minha vida com a mulher mais incrível que conheci. Você ainda me fascina e me inspira. Você me influencia para melhor. Você é o objeto do meu desejo e a razão número um para minha existência. Te amo muito. Feliz aniversário, princesa.”

Essa mesma pesquisa revelou que três entre quatro homens tinham escrito uma carta de amor no ano passado e que 38% das mulheres entrevistadas  admitiram nunca ter escrito uma na vida. Além disso, 46% das mulheres disseram considerar a tradição ultrapassada.

E você, qual foi a última vez em que escreveu uma carta de amor?

(Eu escrevi uma na semana passada. Não entreguei. Nem sei se vou entregar)

8 maneiras de encontrar inspiração quando perder a fé na humanidade

Antigamente, desligávamos a TV para evitar ver tanta tragédia, hoje elas pulam na nossa frente, salpicam nas telas dos computadores, celulares e quando menos se espera, está inundando nossas vidas com o pior que o ser humano pode ser.

Quem nunca questionou a própria fé na humanidade?

Em dias como esses, vale procurar coisas positivas, de pessoas e histórias inspiradoras que fazem com que possamos ter fé, crer que existe também muita coisa boa no mundo, não só maldades.

Reuni aqui, alguns lugares e pessoas que contam histórias inspiradoras e fazem nosso dia um pouco melhor.

1 – Arte na Rua

Para quem acredita na arte como essência de vida, o projeto Arte na Rua mostra artistas que tentam ganhar a vida nas ruas das grandes cidades. A primeira temporada foi gravada em São Paulo e mostrou muita gente interessante, histórias e sonhos que vão inspirar muita gente.

O canal do Youtube é o: https://www.youtube.com/user/CanalArteNaRua

2 – Garota desdobrável

A Bianca Mól é uma artista muito talentosa e encontrou uma forma de transmitir toda a sua arte através de contos muito fofos e encantadores. Tem dias que só precisamos ver algo doce, puro e entrar no mundo da fantasia. Nesses dias, ver as estórias que ela conta, nos enche de ternura e permite continuar o dia com um pouco mais de encatamento.

O canal do Youtube é o: https://www.youtube.com/user/biaamol

3 – Cut Vídeos

Esse canal do Youtube faz experimentos comportamentais e normalmente quebram paradigmas mostrando como o ser humano reage em determinadas situações. Ele é ótimo para quem gosta de ver o melhor lado das pessoas, o quanto elas podem fazer bem umas as outras e juntos construirem um mundo melhor.

O canal do Youtube é o: https://www.youtube.com/user/watchcut

4 – Marca Passo

Já citamos o projeto aqui no blog, o Marco Passo conta histórias de pessoas que superaram a si mesmas, problemas e dificuldades em suas vidas. Pessoas que buscam realizar seus sonhos, que querem ir sempre mais além. Gente como a gente, que tem muita experiência para compartilhar. Um projeto lindo que vale a pena confirir, sempre.

O canal do Youtube é o: https://www.youtube.com/channel/UCOyJ3akgBULlwm1XccO6FdQ

5 – Hypeness

O Hypeness é um site que busca mostrar como a criatividade humana é capaz de inspirar pessoas, de mudar o ambiente e trazer positividade para nossos dias. Traz conteúdos inovadores que transmite uma mensagem para pensar coisas novas e uteis para todos. É possível encontrar soluções incríveis e práticas que com toda a certeza fará seu dia um pouco melhor.

O site é: http://www.hypeness.com.br/

6 – Razões para acreditar

Os textos contagiam, histórias, pessoas e empresas que tentam fazer deste mundo um lugar melhor para todo mundo. Divulgam atitudes positivas e iniciativas humanitárias, ideias e caminhos novos que as pessoas estão buscando para ajudarem uns aos outros e também buscar mais do que lucros e benefícios próprios. Como eles mesmo dizem, sempre há razões para acreditar.

O site é: http://razoesparaacreditar.com/

7 – Awebic

O Awebic é um pouco mais impessoal, é um replicador de conteúdo, traz diversas histórias e vídeos inspiradores produzidos por outras pessoas – a maioria de fora do país -. Mas nem por isso ele deixa de ter o seu valor. Desafio a entrar no site e não ver ao menos uma história capaz de emocionar. De fazer seu coração encher de esperança e restaurar a fé na humanidade.

O site é: http://awebic.com/

8 – Blog do Brain

O blog é um pouco mais descontraído, mistura histórias inspiradoras com humor e entretenimento. É um bom site para visitar periodicamente e intercalar com aquela notícia péssima que acabou de ver. Um site leve, como a vida deve ser.

O site é: http://www.braian.com.br/

São muitos os conteúdos e lugares para buscar inspiração, seja na rua, na chuva, na fazenda ou numa casinha de sapê. Espero que encontre a inspiração que precisa. Afinal de contas, precisamos acreditar. =)

Gostou da nossa lista? Recomenda algum site/canal/conteúdo que inspire a gente? Deixe nos comentários.

Fracassofobia, um caso de amor.

  • Não conte os seus planos e sonhos para ninguém, as pessoas tem inveja, pode dar errado.

Tenho escutado essa afirmação ao longo de toda a minha vida, será mesmo que as pessoas são tão poderosas assim que uma torcida de nariz pode acabar com o sonho de alguém? Será que somos tão receptivos a essas energias ruins que não temos capacidade de superar a opinião alheia?

Cética quanto a influência negativa das outras pessoas em nossa vidas, acredito que a verdadeira razão das pessoas terem medo de contar seus sonhos e planos publicamente, não é evitar o agouro e sim, o receio de contar um plano, falhar e ter que assumir o fracasso diante dos outros.

As pessoas morrem de medo de fracassar, de ter que olhar no espelho e assumir que não foi possível, de encontrar os amigos em uma mesa de bar e ter que dizer:

  • Não deu certo.

A fracassofobia assola a maioria das pessoas que decidem ir além de suas expectativas e obrigações, e por isso, boa parte delas desiste muito antes de começar, são desencorajadas no instante que a incerteza bate à porta, implacável, ela sempre bate.

Devemos ser o orgulho dos pais, o prodígio bem sucedido de 20 e poucos anos, precisamos chegar lá e rápido, esquecemos contudo que o caminho do sucesso pode sim dar errado, os planos e inúmeros desejos despertados depois de horas sonhando e ensaiando aquele sorriso de quando alcançamos um objetivo. Esquecemos de imaginar como seria se tudo desse errado. Carregamos o fardo de não poder errar.

Erramos, erramos feio, erramos rude, erramos repetidas vezes e quando acreditamos que não é mais possível, cometemos novos erros e não, não é incompetência, não é excesso de confiança. É a vida e suas milhares de combinações e probabilidades. Fracassamos em relacionamentos amorosos, profissionalmente, no conserto daquele móvel que mantem-se desiquilibrado há 9 meses por falta de um calço.

O fracasso é talvez, o único cenário previsível antes mesmo de uma tentativa. Então porquê ele incomoda tanto?

Deve ter sido Napoleão e sua lastimável e famosa derrota em Waterloo, deve ter sido Steve Jobs, demitido de sua própria empresa. Ou no contraponto, o efeito Coca-cola com sua assertividade que ao longo do tempo, moldou em nossas mentes o sucesso sem precedentes ad infinitum.

Sendo uma pessoa que tem fracassado ao longo de 29 anos e que continua a olhar para o horizonte buscando alternativas e novos recomeços, transformei minha fracassofobia em companheira e hoje vivemos um caso de amor. Toda vez que me olho no espelho, questiono se algum dia irei triunfar dentro das minhas próprias expectativas, se conseguirei deixar de lado aquela lástima social de não ser um exemplo a ser seguido, ou uma inspiração como tantos já me foram. Questiono se aprender é tudo o que se tira de lição de uma missão mal sucedida. Repito infinitas vezes que não pode ter sido os sentimentos negativos, ninguém sabe, além de nós mesmos quanto custa olhar para os nossos sonhos e ter que dizer adeus.

Não há dor mais amarga do que chegar a dois passos do fim de um arco-íris e ter que voltar, procurar outros caminhos e buscar novos tesouros. O fel que fica na boca retorna de tempos em tempos para não nos deixar esquecer o quão perto chegamos.

Para quem já perdeu o medo de fracassar, sabe que manter a cabeça erguida é imprescindível. Quem tem medo de perder nem começa, não conta para os colegas, para de buscar. O real fracasso é quando perdemos nossa capacidade de sonhar, quando deixamos de acreditar e aprender com nossa própria história. Porque o verdadeiro sucesso é ter coragem de encontrar nossa grandeza, é ela que nos faz triunfar.

Woman Looking at Reflection

Ps.: Encontro-me nesse momento a dois passos do meu tesouro, olhando novamente no espelho, tentando esquivar o olhar para não demonstrar fraqueza, enamorando mais uma vez o fracasso que sempre me acompanha e torcendo para que dessa vez as pessoas estejam torcendo por mim. 🙂

Apenas uma chance

Era apenas um sábado a noite sem dinheiro, mais um. Nesses dias o melhor a ser feito é procurar um bom filme, ajeitar o travesseiro no sofá e torcer para que tudo ocorra bem durante a exibição. (lembro de algumas vezes essa experiência não ter sido tão boa assim ).

O filme contava a história de Paul Potts, para quem não lembra, ou até mesmo não o conhece, Paul participou de um “show de calouros” na Inglaterra no ano de 2007. Naquela época, a internet ainda era um bebê e recordo-me que o vídeo do Paul circulou até por e-mail. Não tem como não se emocionar vendo sua primeira apresentação no Britain Got Talent, os jurados incrédulos, o discurso tímido e desencorajado de Paul, até que a música começa…

Devo ter visto esse vídeo umas dez vezes desde então, mas ontem, sem lembrar-me disto, escolhi o filme “Apenas uma chance” no Netflix, em resumo, um filme emocionante. Mesmo sabendo o final, conhecer a história de vida do Paul – contada sob o prisma de quem passou por inúmeras dificuldades antes de alcançar o sucesso – faz com que os olhos transbordem de lágrimas, ao menos foi assim comigo, naquele sábado sem muitas expectativas.

Sou uma apaixonada por programas que dão oportunidades a amadores, pessoas comuns, com sonhos, com histórias recheadas de superação. A vida, do jeitinho que ela é: várias situações e pessoas tentando persuadi-lo a parar de acreditar, enquanto alguns mantém a esperança, muitos desistem. É a teimosia, contando sempre com uma pitada de coragem que permite que nessas horas possamos ver um milagre.

Aquele brilho nos olhos, a vontade de não decepcionar, um sonho nas costas e um novo caminho pela frente. Acreditar no próprio talento e persistir com os sonhos é uma das maiores provas de amor que podemos nos dar.

Para quem ainda não viu essa história do Paul, inspire-se, vale a pena do início ao fim.

A vida que pedi

Volta e meia me pego pensando na falta que me faz aquelas nossas conversas de madrugada sobre o futuro do país, sobre nossas inseguranças e aquele resumão completo da semana para não deixar nada passar em branco.

Sinto falta das nossas festas inesquecíveis e infindáveis, daquela sempre maravilhosa alegria de fazer o novo e de, sei lá, matar o tempo antes que ele nos matasse, como se fosse possível.

Bem sei que as pessoas vão e vem em nossas vidas e não há mal algum nisso, é sempre bom saber que mesmo que as coisas mudem, o sentimento fica. Ficam as lembranças, aquela saudade saudosista de um tempo bom que passou, mas a falta que você faz, essa nem sempre consigo suprir.

Tento me apegar a coisas que estão sendo boas hoje, as novas amizades que fiz depois que nos afastamos, as referências que ainda dou sobre você, porque você ainda é a minha referência mais viva, a permanência mais latente da minha memória. Você me ajudou a ser forte, a ser a pessoa que sou quando ninguém está olhando. Foi quem por diversas vezes não deixou meu brilho se apagar. De todas as lembranças que carrego comigo, as mais vivas são de quando você suportou minhas crises do meu lado, sem nem titubear.

Também acompanho sua vida, quilômetros de distância ou quilômetros de impedimentos não me afastaram de saber se você está bem e cada vez que vejo seu sorriso em uma foto, suas palavras sendo proferidas a alguém que não sou eu, penso que esta deve ser a pessoa mais feliz do mundo, como eu já fui um dia.

Não foi o tempo, não foi a distância, não foram outras pessoas entre eu e você, foi a vida que escolhemos e dessa implacável consciência não podemos fugir, apesar de tentarmos, são os caminhos que escolhemos que fazem companhia enquanto seguimos em frente.

Dias desses quando nos encontrarmos, quero me lembrar de dizer o quanto amo e o quanto você me faz falta, mesmo que isso não seja necessariamente dizer que seguiremos lado a lado, como éramos quando juramos nossa amizade eterna furando o dedo e esfregando o sangue em nossas mãos. Quando nos abraçávamos cantando músicas bregas, íamos a shows muito louco de rock’n’roll, quando riamos nas festas com aqueles sons nem tão roll assim e chorávamos nossas mágoas e brindávamos nossas conquistas.

Essa falta, essa maldita falta, é o que mais tenho orgulho de ter, porque tudo isso faz parte da minha vida e essa história só existe por causa de você.
images (1)

Ps.: Dedico esse textos a todos os meus amigos, amigas, melhores amigos e amigas que por uma escolha ou outra acabei conquistandopor aí.

images

Não é que esteja ficando velha

Não é que eu esteja ficando velha, todos estamos, todos passamos por esse mesmo estágio chamado amadurecimento. As roupas que antes fitavam com a imagem adolescente hoje já não cabem mais. Uma sainha mais curta, um cabelo pintado de azul, uma esbajada saindo de segunda até a próxima segunda já não é possível quando se tem quase 30.

Era o que eu pensava, aos 18, que teria quando chegasse próximo do ritual envelhecedor dos 30 anos. Deveria estar casada, me preparando para o primeiro filho, bem sucedida, com a vida encaminhada. Essa é a vida da maioria dos meus amigos e colegas, não a minha. É também a vida que meus pais tinham planejado para mim, não a que eu tinha.

É nesse sair da linha que a gente se perde, nesse lance de fazer coisas como se ninguém estivesse olhando e desejando que mesmo que caia no julgamento seja esquecido rapidamente. Uma foto mais ousada, um namorado que não deu certo ou 7. Largar o emprego, correr o mundo, ficar pobre outra vez. Foi assim, saindo da linha, perdendo-me em aventuras que me encontrei.

IMG_20140822_201517135

Foi fazendo o que me traria felicidade, contrariando qualquer plano, qualquer desejo ou normalidade de alguém que beira a responsabilidade. É a liberdade de ser quem se é, goste 10 ou nenhum, ame quem tenha que amar e quem não gostar mantenha-se longe, porque a vida, essa que a gente gosta de acordar todo dia e seguir em frente não vem só porque se tem 20 anos e coragem de fazer o que se quer, viver é uma arte que desafia o impossível e que vai persistir aos 30, 40, 90…

Amanhã faço 29 e não que eu esteja ficando velha, é só o peso das escolhas que fiz, as boas e as ruins. Mas o amanhã não me move mais, é o hoje e o que posso fazer por ele aqui e agora, na mesma intensidade e sagacidade de quem só quer ser feliz por um dia mais e por todos os dias a mais. ❤